.
.

Acessibilidade

Aumentar Fonte
.
Diminuir Fonte
.
Fonte Normal
.
Alto Contraste
.
Libras
.
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Mapa do Site
.
Acesso à informação
.

Seg à sex - 8:00 às 11:30 e 13:00 às 17:30.

Educação - Quinta-feira, 26 de Janeiro de 2023

Buscar Notícia

Notícias por Categoria

REDE MUNICIPAL DE ENSINO SE PREPARA PARA O ANO LETIVO

Nos meses de janeiro e fevereiro é costumeiro ocorrer a preparação das escolas, professores, funcionários e estudantes para o início do ano letivo


REDE MUNICIPAL DE ENSINO SE PREPARA PARA O ANO LETIVO

REDE MUNICIPAL DE ENSINO SE PREPARA PARA O ANO LETIVO

Nos meses de janeiro e fevereiro é costumeiro ocorrer a preparação das escolas, professores, funcionários e estudantes para o início do ano letivo. Em Soledade, o Sistema Municipal de Ensino tem o dia 23 de fevereiro como data prevista para o início das aulas.

Antecedendo esse período, algumas atividades e ações estão sendo esboçadas e promovidas pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto (SMECD), objetivando a qualificação dos processos de ensinar e aprender ancorados na perspectiva cidadã, como destaca a secretária Àdria Brum de Azambuja.

“Nesse momento, nosso grupo está preparando os últimos ajustes para o início do ano escolar de 2023. Iniciamos os trabalhos ainda no final de 2022, porque não dá para desenhar o ano logo em janeiro. Para seguir mobilizando a meta de ressignificar o currículo escolar precisamos alinhavar as propostas com os anseios e expectativas dos professores e funcionários e potencializar os fundamentos do PROFORMA - Programa de Formação Continuada dos Profissionais da Educação”, enfatiza.

A Secretaria de Educação já tem definidas as metas e propostas para os dias letivos, e segundo Ádria, a principal é ressignificar o currículo da escola. “Não podemos apagar o momento pandêmico pelo qual passamos, mas também não podemos retroceder. Vamos seguir compreendendo a educação como um bem público, como um direito de todos, e por isso precisamos movimentar o currículo da escola e da cidade, para que as crianças aprendam cada mais e melhor”, relata.

Formação Continuada

O ano letivo no Sistema Municipal de Soledade inicia com a Formação Continuada, compreendida como processo reflexivo que potencializa, reafirma e ressignifica as ações pedagógicas no âmbito da gestão do Sistema, da escola e da aula. Os fundamentos do Proforma assentam-se na práxis, no diálogo, na problematização, na relação da ciência com a vida, na interlocução com os territórios, na escuta e no trabalho coletivo.

Neste ano, a formação será realizada nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro, e é considerada uma prática fundamental para início das atividades letivas. “Os dois primeiros dias de formação acontecerão no Centro Cultural e em diferentes pontos da cidade, de modo mais geral, com movimento de rua, trabalhos em grupo denominadas estações, além da conferência como encerramento da formação geral. Num total de quatro, as estações pretendem mobilizar discussões acerca de Cidade Educadora, gestão intersetorial, gestão democrática e Projeto Político Pedagógico.

Cada uma das estações terá representantes das escolas que, no decorrer do ano, serão os multiplicadores da formação juntamente com o coordenador pedagógico, mobilizando e ampliando a compreensão sobre a temática da qual ele participou. A temática da formação para esse ano será currículo, território e aprendizagem na perspectiva da educação integral, que é a nossa grande proposta de estudo. Já no dia último dia, a formação fica a cargo de cada escola, seguindo orientações da Secretaria da Educação”, complementa Àdria.

A Formação Continuada de 2023 contará com momentos junto à grandes profissionais da educação, como a diretora geral da Associação Cidade Escola Aprendiz de São Paulo, Natacha Costa; a professora, Luciane Spanhol Bordignon; da Universidade de Passo Fundo (UPF) e o professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Jeronimo Sartori, além e de outros profissionais que já prestam assessoria para Soledade, a exemplo da professora Eliara Levinski. “Todos trarão uma reflexão voltada à qualificação, compartilhando experiências e conhecimento acerca das ações que os educadores municipais tem movimentado ao longo do ano”, afirma a secretária.

Matrículas

Ainda, conforme Ádria, neste ano foram mais de 200 alunos matriculados no Sistema Municipal de Ensino. “Nós conhecemos o trabalho das escolas e não podemos precarizar esse atendimento, ainda mais quando temos as crianças na tenra idade. Sabemos que a Educação Infantil necessita sempre de um quadro de recursos humanos consistente e adequado ao número de estudantes, por isso precisamos dos CIEEs, dos contratos, dos professores efetivos, dos funcionários, alimentação, transporte escolar, enfim, de tudo planejado e organizado para começarmos o ano letivo com os insumos necessários”, reforça.

Uma questão que vem sendo trabalhada fortemente pela Secretaria da Educação é quanto ao período de matrículas. Para auxiliar os pais e responsáveis que não conseguiram vagas na Educação Infantil em dezembro, será aberto um novo período em fevereiro voltado às escolas que ainda tem a possibilidade de acolher alunos. “A partir de um estudo que fizemos, vamos abrir matrículas novas apenas nas escolas que tem vagas, para acolher a todos e para sinalizar aos pais que não há lista de espera, mas sim períodos de matrículas, sendo um em dezembro e outro em fevereiro”.

Encerrados esses períodos, segundo Ádria, não haverá mais possibilidade de ingresso das crianças ao longo do ano letivo nas escolas. “Atender e acolher as crianças ao longo do ano letivo dificulta muito o planejamento de recurso humano, de alimentação, transporte e de todas as outras questões que envolvem a criança estar na escola. De acordo com o Plano Municipal de Educação, nós precisamos atender 50% das crianças nas creches, o que está sendo alcançado. Na etapa pré-escola a obrigatoriedade está garantida desde 2016, o que exige que tenhamos o termo de cooperação entre estado e município que permite a utilização, por parte do município, dos espaços públicos das escolas estaduais. Assim o espaço na EMEI pode ser utilizado para acolher as crianças de creche que necessitam de uma estrutura específica para as suas necessidades como trocadores e berços. Seguimos sempre com a política de ampliação de vagas com base em estudo de demanda e planejamento orçamentário” explica a secretária.

Sendo assim, ela reforça o comunicado de que na primeira semana de fevereiro será aberto um novo período para matrículas nas escolas que possuem vagas. “Os pais podem procurar as escolas que de acordo com o edital tenham vagas realizar a matrícula ou podem procurar a Secretaria Municipal de Educação que ajudamos a fazer essa triagem para ver aonde ainda existem vagas”, disse.

Compreensão dos pais

Questionada acerca da existência de uma estrutura do Sistema Municipal para atender 100% da população escolar de Soledade, a secretária enfatiza que existe uma estrutura para atender a totalidade das crianças, mas há algumas situações que não vem de acordo com a organização e planejamento da Secretaria de Educação, especialmente quanto à matrícula no início do ano.

Ela afirma que, em razão dos processos e atividades das escolas, não serão mais acolhidos alunos durante o ano letivo e que não foram matriculados no período estipulado. “Nós fizemos um levantamento e constatamos que não há crianças fora da escola em idade de pré-escola. A etapa creche pode ampliar a oferta de vagas desde que seguido algumas orientações. A escola é uma instituição de ensino, que ajuda sim os pais trabalhadores, mas a criança está lá desde a tenra idade, inserida num processo de ensino-aprendizagem, a exemplo dos bem pequenos, que aprendem a caminhar, falar e engatinhar na escola, ou seja, aprende tudo aquilo que, antes, em outros tempos, faziam em casa restrito às mães, avós e babás. Diante disso, percebe-se a necessidade de que os pais compreendam que a escola é uma instituição de ensino e aprendizagem, que as crianças tem que seguir determinados processos, rotinas e atividades. Por isso, não estaremos fazendo mais essa prática de acolher crianças ao longo do período letivo porque estaríamos correndo o risco de precarizar o atendimento com os alunos”, destaca.

Para finalizar, Àdria reitera a importância dos pais e responsáveis ficarem atentos quanto ao período de matrículas, afim de que estejam efetivamente fazendo o vínculo da criança com a escola, bem como o período que a criança foi matriculada, seja integral ou não. “Ao longo do ano, vamos conversar mais com os pais e a comunidade sobre essas questões, para que haja um entendimento por parte deles. A escola é pública e as pessoas tem o dever de participar, desde que entendam o funcionamento para não propor algo que as vezes pode ser inviável”, conclui.

matéria por Informativo Regional

550 Visualizações

Notícias relacionadas

Voltar para a listagem de notícias

.
.

Calendário de eventos

.
.

Acompanhe-nos

.
.

Prefeitura Municipal de Soledade - RS.
Usamos cookies para melhorar a sua navegação. Ao continuar você concorda com nossa Política de Cookies e Políticas de Privacidade.